24 junho 2015

O esterco se torna energia: elétrica, térmica e criativa

A empresa agrícola de Castelbosco, na província de Piacenza, é dedicada à produção de leite em especial para o Grana Padano e hospeda 2.500 bovinos de raça selecionada que produzem todos os dias aproximadamente 300 quintais de leite e 1.000 de esterco. Uma quantidade de material orgânico cuja gestão Gianantonio Locatelli, proprietário da empresa, transformou em um projeto industrial futurístico, com o suporte tecnológico da AB no que se refere à cogeração de biogás, além de ser ecológico e cultural, com a recente inauguração do “Museu da Merda”. Nas salas do castelo, o Museu hospeda também algumas obras da coleção privada de Gianantonio Locatelli que serão preparadas em rotação, mais uma recordação das idéias de metamorfoses e variações cíclicas próprias da sua visão empresarial e cultural. Obras que, não só metaforicamente, são conectadas à “reciclagem” e em parte também à agricultura, à criação, ao processamento do esterco e à produção energética. Tanto a AB quanto a Locatelli sabem bem que a idéia da reutilização sempre esteve inerente ao mundo agrícola: neste caso, o estrume se transforma em outro produto e produz inovação. O esterco, neste caso, se torna energia térmica e elétrica com a AB e cultural com o “Museu da Merda”. O vídeo tour do museu está disponível no link abaixo ou em www.biogaschannel.com

Biogas Channel